Máquina do Tempo

As Primeiras Damas #18 Julia Grant
26/1/1826 – 14/12/1902

O pai, dono de uma plantação no Missouri com o nome idílico de White Haven, Paraíso Branco, era também comerciante e senhor de escravos. Julia e os sete irmãos e irmãs cresceram no campo, no que ela descreveu como “um Verão eterno”, mas ela foi enviada para uma escola em Saint Louis frequentada pelas famílias com mais posses, onde terá mostrado dotes artísticos.

Ulysses Grant entrou na vida de Julia por ser colega do irmão Frederick na academia militar. Grant propôs-lhe casamento várias vezes e ela aceitou um dia em que estavam sentados nos degraus da frente de White Haven.

Por causa das campanhas militares em que o noivo estava envolvido, o casamento só se realizou passados quatro anos. Nesse período só se viram uma vez. Quando casaram finalmente, em 22 de Agosto de 1848, nenhuma das famílias era especialmente favorável à união: os pais dela por ele ser um militar com pouco dinheiro e perspectivas limitadas e os pais dele porque a família dela tinha escravos.

Julia passou a acompanhar o marido de forte em forte e só em 1852 regressaram a casa – neste caso a dos sogros. Tiveram três rapazes e uma rapariga entre 1850 e 1858. Quando o marido foi enviado para combater na Guerra Civil, ela ficou a viver numa casa em Holly Springs, no Mississipi, que numa ocasião haveria de ser assaltada pelos soldados sulistas.

Foram anos de grande dificuldade económica, que terminaram quando o marido entrou na Casa Branca. Com as outras mulheres da administração adorava dar festas, que se tornaram famosas pelo requinte e abundância. Uma das maiores foi o casamento da filha, Ellen, em 1874.

Foi durante a Presidência do marido que médicos lhe propuseram realizar uma operação para corrigir o estrabismo com que nascera. Grant foi peremptório: “Posso não gostar tanto de ti com outros olhos.” Ela não fez a operação.

Ulysses e Julia fizeram uma viagem à volta do mundo quando ele deixou a presidência. Foram dois anos felizes, com grandes recepções, incluindo uma histórica dada pela Rainha Victoria em Windsor. Esta digressão levou-os até ao Japão. O regresso a casa foi menos feliz, outra vez com grandes dificuldades financeiras e a doença dele, um cancro na garganta. O êxito póstumo das memórias de Ulysses, que renderam perto de 450 mil dólares, atenuou os problemas de dinheiro de Julia nos anos de viuvez.

Julia Grant tornou-se a primeira Primeira Dama a escrever as suas memórias, mas ninguém a quis editar. Não só em vida dela mas durante longos anos. Na verdade ela morreu em 1902 e As Memórias Pessoais de Julia Dent Gran só foram publicadas em 1975 – ou seja, um século depois de o marido morrer.