Máquina do Tempo

Os Presidentes: #22 (e #24) Grover Cleveland
18/3/1837 – 24/6/1908

Conquistou o voto popular em três ocasiões (1884, 1888 e 1892), mas só foi eleito na primeira e na última – é aliás o único Presidente norte-americano com dois mandatos não consecutivos

 

PRESIDENTE ENTRE 4 DE MARÇO DE 1885 E 4 DE MARÇO DE 1889
E ENTRE 4 DE MARÇO DE 1893 E 4 DE MARÇO DE 1897

 

7 FACTOS ESSENCIAIS

Nascido em Nova Jersey, Stephen Grover Cleveland foi o quinto de nove filhos de Ann e Richard, um sacerdote presbiteriano – aliás, foi baptizado Stephen Grover em homenagem ao primeiro pastor da igreja de Caldwell, onde o pai oficiava. Ao crescer passaria a usar apenas Grover, nunca Stephen. Era uma vida sem dinheiro, austera.

Aos 16 anos tudo piorou: ficou órfão de pai e teve de deixar a escola para ajudar a sustentar a família. Chegou a ser professor de cegos. Já em Buffalo, Nova Iorque, em casa de um tio, começou a estudar leis e tornou-se advogado em 1859. As capacidades e a ambição levaram-no a abrir um escritório próprio três anos depois.

A sua primeira incursão na política foi concorrer a xerife de Erie County, em 1870, pelo Partido Democrata. Foi eleito, e os factos mais marcantes do seu mandato de dois anos terão sido os enforcamentos de dois condenados, que ele próprio levou a cabo, supostamente para não pagar 10 dólares a um ajudante para executar essa tarefa.

A ascensão política foi meteórica: presidente da câmara de Buffalo em 1882, governador de Nova Iorque no ano seguinte, nomeado candidato presidencial pelos democratas logo depois e eleito presidente em 1884. Derrotou o republicano James Blaine por margem estreita: 1.200 votos no seu estado de Nova Iorque revelaram-se decisivos. A sua campanha assentou numa imagem de campeão anti-corrupção.

O primeiro mandato reforçou essa condição: íntegro, trabalhador, liberal. Combateu os compadrios e os impostos altos, os subsídios generalizados e os privilégios, lutou pela reforma política. Nomeado pelos democratas para se recandidatar, viu todo esse capital esbanjado por uma campanha mal conduzida. Depois, uma mistura de acasos e fraudes custou-lhe a derrota no colégio eleitoral, ainda que tenha tido mais votos populares do que o rival republicano, Benjamin Harrison.

Regressou em 1892. Foi uma desforra: Grover vs. Harrison. A doença e morte da mulher do rival duas semanas antes da votação transformaram a campanha num momento sem alegria nem vibração. Acabou eleito por larga margem, para um segundo mandato marcado pelo desastre económico conhecido como Pânico de 1893. A sua acção política foi incapaz de travar a depressão e isso haveria de custar aos democratas uma longa travessia do deserto.

A descoberta de um cancro no palato, no primeiro ano do segundo mandato, tornou esse período numa provação ainda maior. Recuperou, e nos anos depois de deixar a Casa Branca manteve-se activo, a dar aulas em Princeton, a escrever as suas opiniões políticas e a ser ouvido até pelo Presidente Theodore Roosevelt. Um ataque cardíaco matou-o em 1908.

 

 

7 CONHECIMENTOS INÚTEIS

A sua primeira profissão, ainda adolescente, foi como professor e chegou a dar aulas a cegos.

Durante a Guerra Civil, a lei permitia a todos os homens contratarem alguém que os substituísse nas fileiras do exército. Grover pagou 150 dólares a um imigrante polaco de 32 anos, George Benninsky, para ir combater em seu lugar.

Entre ser xerife e candidato presidencial, Grover manteve uma breve relação com uma mulher viúva. Assumiu o encargo de a manter e a uma criança nascida nessa altura, que podia ou não ser sua – um caso pelo qual sofreu ataques políticos.

Era um homem grande, com cerca de 120 quilos (entre os Presidentes, só William Howard Taft foi mais pesado). O vício de fumar charutos e o gosto (segundo alguns excessivo) por cerveja compunham um quadro pouco saudável.

Foi o primeiro – e único – Presidente a casar depois de ser eleito para a Casa Branca, com Frances Folson, 28 anos mais nova, em 1886.

Foi ele que inaugurou a Estátua da Liberdade, enviada de França, em Outubro de 1886, frente a Nova Iorque.

Como não queria que o povo soubesse que estava doente, Grover Cleveland manteve em segredo que sofria de um cancro no palato e até fez a cirurgia para o remover a bordo do iate de um amigo.