Máquina do Tempo

As Primeiras Damas #26 Edith Kermit Roosevelt
6/8/1861 – 30/9/1948

Foi a namoradinha da infância e dos primeiros anos da adolescência. Uma tragédia na vida de Roosevelt havia de fazer dela Primeira-Dama. Discreta, como convinha à mulher de um Presidente tão extrovertido

 

Edith era a vizinha do lado de Theodore Roosevelt, três anos mais nova do que ele e companheira habitual das brincadeiras de criança. Educada e culta, também partilhou com ele na adolescência o gosto pelos livros, mas separaram-se quando o futuro Presidente foi estudar para Harvard em 1876.

Assistiu ao casamento de Theodore e Alice Lee em 1880, mas na verdade só voltaram a reencontrar-se em 1885, um ano depois de ele ficar viúvo. Theodore propôs-lhe casamento em Novembro de 1886 e apenas duas semanas depois, a 2 de Dezembro, casaram, em Londres, num dia em que, descreveu ele, o nevoeiro entrava pela igreja. Andaram quase quatro meses pela Europa antes de regressarem aos Estados Unidos e passaram a viver com a filha de Theodore, que nesse período ficara com uma tia.

Como Primeira Dama, Edith foi discreta, até nas obras de remodelação que orientou na Casa Branca, e insistiu em proteger a privacidade da família: ela, o marido, a enteada e os quatro filhos (entre 1877 e 1887 tiveram três rapazes e uma rapariga).

Sofreu em sucessão duas grandes perdas: o filho Quentin, em combate aéreo sobre solo francês, mesmo no fim da Primeira Guerra, no início do Verão de 1918; e o marido no começo do ano seguinte.

Na eleição presidencial de 1832 haveria de fazer uma breve aparição em campanha por Herbert Hoover – que se apresentava contra Franklin Roosevelt, que era sobrinho do marido. Morreu com 87 anos em Oyster Bay, Nova Iorque, onde se encontra sepultada ao lado de Theodore.

Antes de Edith, Theodore foi casado com:

Alice Hathaway Lee Roosevelt

29/7/1861 – 14/2/1884

Filha do banqueiro George Cabot Lee e de Caroline Heskell, Alice tinha a alcunha de Sunshine: era loura, quase com 1,80m, excepcionalmente bela e sempre bem disposta. Encontrou Roosevelt com 17 anos, em casa de vizinhos, e ele quis namorar com ela imediatamente, mas o noivado só foi anunciado em Fevereiro de 1880, oito meses antes do casamento.

Foram viver com a mãe de Theodore, em Nova Iorque, movimentando-se entre a elite próspera da cidade, antes de viajarem durante cinco meses pela Europa, numa espécie de lua-de-mel. Em 12 de Fevereiro de 1884, Alice deu à luz uma bebé. O marido estava fora, pôs-se a caminho de casa no dia seguinte. Quando chegou, por volta da meia noite, encontrou a mulher quase em coma. Alice veio a morrer na tarde do dia 14 e Theodore, perturbado, quase nunca falou dela outra vez, até porque esse dia foi traumático: a mãe morreria com 12 horas de intervalo.