Máquina do Tempo

As Primeiras Damas #28a Ellen Louis Axson Wilson
15/5/1860 – 6/8/1914

Nem um ano e meio chegou a estar na Casa Branca mas deixou uma marca, através da tranquilidade com que desempenhou as suas funções. Quando percebeu que ia morrer, desejou que o marido voltasse a casar

 

Sulista, do estado da Geórgia e de uma família proprietária de escravos, a filha do reverendo presbiteriano Samuel Axson foi encaminhada pela mãe, Margaret, para desenvolver os seus gostos por música, literatura e belas-artes em geral.

Em 1883 encontrou pela primeira vez Wodroow Wilson, que visitava um familiar. Cinco meses depois estavam noivos, mas o casamento teve de esperar: o futuro presidente concluía os seus estudos na Universidade Johns Hopkins e ela cuidava do pai, que ficara viúvo. Ellen viu-se confrontada com uma tragédia pessoal quando o pai, com uma depressão, se matou no hospital; acabou por deixar a Geórgia e ir estudar Artes para Nova Iorque durante um curto período.

De volta a casa, acabou por casar com Wilson em 1885 e tiveram três filhas: Margaret (1886), Jessie (1887) e Eleanor (1889).

Quando o marido chegou à Casa Branca, em 1913, o casal dispensou o baile inaugural. Ela dedicou-se aos seus trabalhos artísticos e montou até um estúdio no terceiro piso; muito do seu trabalho era dado para acções de caridade. Mas também organizava populares, ainda que tranquilos, eventos sociais, e dedicou-se a melhorar a habitação nos subúrbios da capital federal, maioritariamente habitados por negros.

A doença de Bright, um grave problema renal, matou-a logo em 1914. Na véspera de morrer, terá feito o médico prometer-lhe que diria ao marido que ela queria que ele voltasse a casar.