Actualidade

Pedido para recontagem de votos nos EUA angaria milhões online

A candidata do partido ambientalista norte-americano, Jill Stein, angariou 2,3 milhões de euros em doações online para pedir uma recontagem dos votos, após se ter verificado “anormalidades” em três estados

Poucos dias depois de lançar uma campanha de angariação de fundos para pedir uma recontagem de votos das eleições que elegeram Donald Trump para o novo Presidente dos Estados Unidos, Jill Stein, a candidata do partido verde, conseguiu mais de dois milhões de euros.

A candidata pediu 1,8 milhões de euros a ser angariados até amanhã, para pedir a recontagem no Wisconsin, onde foram detectadas “discrepâncias significativas em totais de votos”, assim como no Michigan e na Pensilvânia. Mas hoje já tinha angariado 2,3 milhões de euros em doações online.

“Estas preocupações têm de ser investigadas antes da eleição de 2016 ser certificada. Nós merecemos eleições em que podemos confiar”, disse a candidata em comunicado.

Ao todo são necessários entre 5,6 a 6,6 milhões de euros para pedir a recontagem de votos nos três Estados e os prazos para efectuar os pedidos estão a chegar ao fim: o de Winsconsin termina amanhã, na Pensilvânia é até segunda-feira e no Michigan, onde ainda se faz contagem de votos, é 30 de Novembro.

Um grupo de advogados e académicos temem que tenha ocorrido um ataque informático ao sistema electrónico de voto usado em alguns Estados e sugeriram à ex-candidata presidencial Hillary Clinton que requisitasse uma recontagem. Só um dos candidatos às eleições o pode fazer, mas a candidata derrotada não reagiu.

O Presidente eleito, Donald Trump, venceu no Wisconsin e Pensilvânia por margens mínimas e tem uma pequena vantagem no Michigan. Estes Estados votaram sempre no candidato democrata nas eleições presidenciais recentes.